segunda-feira, 14 de abril de 2014

Os extraterrestres na cultura pop brasileira

Brazilian Alien


   Tenho pesquisado muito ufologia. Tanto a ponto de ficar paranoico e com medo de dormir a noite. Tenho descoberto casos fantásticos, e pretendo trazer alguns deles aqui para o blog. Mas por hora e pra tentar aliviar um pouco a seriedade que esse tipo de estudo tem tomado pra mim, quero falar de extraterrestres de um jeito mais light
   Refletindo, em meios a esses estudos, me perguntei como os extraterrestres tem aparecido e sido representados na cultura brasileira? Na cultura americana, não preciso nem citar algum, eles proliferam. Mas e aqui? Bem, aqui os aliens são uma esculhambação só, acabei chegando a essa conclusão. Que vergonha Brasil. Olha só como são toscos os Ets da cultura pop tupiniquim.

ET Bilú - O mais recente e atualmente mais famoso extraterrestre da nossa cultura é sem dúvida o Bilú.  Uma criação tosca e bem salafrária do Urandir Fernandes e seus seguidores. Quando o Urandir apareceu na TV nos anos 90, falando dos seus poderes psíquicos e dos seus contatos com extraterrestres era incrível. Não existia nada assim na TV brasileira. Eu era fã dele e não perdia nenhuma aparição sua na TV. Mas não demorou muito começaram a aparecer denúncias contra ele que o desmascaravam e o apontavam como charlatão. E aí quando apareceu o ET Bilú, o tosco extraterrestre brasileiro, eu fiquei definitivamente bem descrente em relação a seriedade do seu trabalho. Mas, apesar de tudo, o conselho do Bilú que virou meme, acho que é bem válido, "busquem conhecimento". 


ET e Rodolfo - Talvez você se lembre da dupla da época do programa do Gugu. Porém, o "ET" apareceu pela primeira vez na TV brasileira na época em que o programa do Ratinho era na CNT. O programa era bizarro, grotesco, qualquer coisa que desse audiência eles botavam no ar, coisas que vc só vê na deep web hoje, vc via no programa, e no horário nobre. Certa vez o Rodolfo, que era repórter do programa, anunciou que iria mostrar um extraterrestre. Ele levava uma caixa para o programa dizendo que dentro havia um ET de verdade e que ele iria apresentá-lo ali ao vivo. Eles devem ter ficado uma semana enrolando. Ficavam fazendo mistério até o fim do programa e então anunciavam que não iria mais dar tempo e ficava pro dia seguinte. A coisa tava dando muita audiência. Eu gazeava aula pra chegar em casa a tempo de ver esse tal ET, tava muito intrigado. Até que finalmente eles abriram a caixa e aquele homem feio e franzino sai bravo, irritado por ter ficado ali preso, queria bater no Rodolfo. Tudo armação, fiquei frustrado, cheguei a achar na época que poderia ser algo mais sério, que ingênuo. Encontrei o vídeo na internet com a cena no youtube, veja aqui. Claudio Chirinian, o ET, faleceu em 2010 devido a uma série de problemas de saúde. 

João Mineiro & Marciano e As Marcianas - Se a música sertaneja foi assolada recentemente por um corpo vindo do espaço, o "meteoro da paixão", nos anos 80 seres vindos de marte eram importantes nomes dentro do estilo e faziam aparições constantes nas paradas de sucesso. O bonito timbre de voz de Marciano interpretando as canções de Moacir Franco (O Jeca Gay da Praça e Nossa) transformaram-nas em clássicos da música popular, a ponto de "Seu Amor Ainda é Tudo" e "Ainda Ontem Chorei de Saudade" serem músicas capazes de agradar mesmo quem não entende nada de música sertaneja. As Marcianas, não tiveram tanto êxito, mas não é difícil encontrar alguém na casa dos 30 anos pra cima que não lembre de refrões grudentos como os de "Vou Te Amarrar Na Minha Cama" ou de "Por Que Brigamos". Essas duas duplas, que são extraterrestres só no nome servem para ilustrar o quão pouco a presença alien é relevante na nossa cultura pop. Entretanto, se vc visse hoje pessoas com as roupas e com os penteados que eles usavam na época você iria jurar que essas pessoas não são desse planeta. 


Os Trapalhões na Guerra dos Planetas e Princesa Xuxa & os Trapalhões - Os trapalhões marcaram a infância de muita gente, e isso graças ao seu humor pastelão e há uma certa dose de ousadia. Ousadia que resultava em alguma tosquera ali e aqui, mas que, por exemplo, produzia as maiores cenas de ação e com efeitos especiais que o cinema nacional era capaz de produzir, o que era importante para uma criança. E nesse espírito os trapalhões flertaram com a ficção científica e com extraterrestres pelo menos em duas ocasiões. Em 1978 com Os Trapalhões na Guerra dos Planetas, uma paródia do primeiro filme de saga Star Wars que havia sido lançado cerca de 6 meses antes, e que é tão tosco e ridículo que virou cult no mundo todo ficando conhecido na gringa como Brazilian Star Wars. No blog tem um post falando sobre o filme, com fotos e vídeos, confira aqui; Em 1989 os trapalhões voltam ao espaço no filme Princesa Xuxa & Os Trapalhões, num filme que fez muito sucesso, com naves espaciais, robôs, raio lazer e Os trapalhões como extraterrestres no planeta Antar. Uma produção até que bem cuidada para os padrões do cinema nacional da época, mas tosquinha, comparada com a ficção científica hollywoodiana de então. 

Etevaldo - Nunca cheguei a assistir um episódio inteiro do Castelo Ra-tim-bum, mas lembro-me de que zapeando vez por outra estacionava por algum tempo no programa, e algumas vezes via ali o ET. O programa marcou a infância de muita gente e entre muitos personagens tinhamos o personagem Etevaldo. Curiosamente, mesmo tendo assistido muito pouco o programa tinha a imagem do ET do Castelo na memória, mesmo este não tendo durado muito tempo na série. Três meses depois da estréia do programa, em 9 de maio de 1994, o ator Wagner Bello, que interpretava Etevaldo, morre devido a complicações resultantes da AIDS. Ele é substituído por outra personagem, que também era extraterrestre, que apareceu poucas vezes no Castelo Ra-tim-bum e atendia pelo nome de Etcetera. 

   
 Esses são os personagens, nomes e produções nacionais que exploraram de alguma forma a temática extraterrestre que mais tiveram repercussão dentro da cultura pop do nosso país. Devem haver outros escondidos no underground, que desconheço, mas os que tiveram impacto mais significativo e geral são esses. O filme Área Q não assisti e pelo trailer ele não me atraiu, me pareceu um tanto tosco também, e cá entre nós, extraterrestres toscos na nossa cultura já temos o suficiente, né? É bem preconceituoso falar assim de um filme sem vê-lo, eu sei, mas mesmo que seja um bom filme ele não me parece ter se consagrado dentro do imaginário pop nacional a ponto de permanecer na memória de uma geração, tal qual os outros exemplos que aqui foram apresentados. 
  O tema será algum dia tratado com seriedade e apuro artístico na nossa cultura? Ou isso é coisa de americano? Casos ufológicos fantásticos existem aos montes no nosso país. Podemos muito bem tratar do assunto e com propriedade. Área Q tem o mérito te ter tentado isso. Mas podemos, queremos e merecemos mais!! Os extraterrestre são sensacionais nas telas. 

Os Americanos

Loading...